Page 49 - Abrasca Anuário Estatístico 2018
P. 49

    Desempenho setorial Sectorial performance
      EDUCAÇÃO
Regulamentação: novas perspectivas
Um dos eventos que marcou o ano de 2017 foi a regulamentação do setor educacional no item ensino superior, tanto na modalidade presencial, com a nova
versão do financiamento estudantil (FIES), como no segmento de ensino à distância (EAD), que tem agora um novo marco regulatório. As medidas passarão a valer em 2018 e vão alterar de maneira relevante a dinâmica desse mercado. Haverá modificações nas taxas de juros, no prazo para pagamento do saldo devedor e na contribuição das instituições superiores.
A regulação permite que as instituições de ensino superior se credenciem para ofertar cursos de EAD sem a necessidade de fazer o mesmo para a modalidade presencial, o que era obrigatório anteriormente. Segundo analistas, a curto prazo as alterações no FIES podem trazer impactos negativos para o setor, no entanto, tornam o financiamento público mais sustentável e adequado ao orçamento do MEC.
O lucro líquido consolidado das cinco empresas com ações na B3 totalizou R$ 2,60 bilhões uma alta de 7,7% em relação ao de 2016. O destaque ficou com a Anima, cujo lucro cresceu 308%, seguida pela Estácio (15%) e Kroton (1%), enquanto a Ser Educa teve uma redução de 14% na lucratividade. Já a Somos Educa reverteu o prejuízo de R$ 74 milhões de 2016 para um lucro de R$ 11,8 milhões no ano passado. As empresas registraram ainda aumento do Ebitda e expressiva redução da dívida líquida e da alavancagem financeira.
Para os próximos anos os analistas estão otimistas. Esperam a normalização na oferta de novos contratos de financiamento público e ampliação dos polos EAD como principal impulso ao crescimento da base de alunos.
Education
Regulations: new perspectives
One of the events that marked the year of 2017 was the educational sector regulations in higher education, both in face-to-face mode, with the new version of student funding (FIES), as in distance learning (ODL), which now has a new landmark regulatory. The measures will enter into effect in 2018 and should significantly alter the dynamics of this market. There will be changes in interest rates, the payment term for the negative balance and the contribution of higher institutions.
The regulations allow higher education institutions to become accredited to offer Distance Learning courses without having to do the same for face-to-face mode, what was previously required. According to analysts, the short-term changes in FIES may bring about negative impacts to the sector, but they do make public funding more sustainable and suited to the budget of the Ministry of Education.
The consolidated net income of the five companies with shares in B3 amounted to R$2.6 billion – up 7.7% compared to that of 2016. The profit recorded by Anima prominently grew 308%, followed by Estácio (15%) and Kroton (1%), while Ser Educa fell 14% in profitability. In contrast, Somos Educa reversed losses of R$74 million in 2016, recording a profit of R$11.8 million last year. Companies also recorded an increase in Ebitda and a significant reduction in net debt and financial leverage.
Analysts are optimistic for the coming years. They expect standardization in the offer of new publicly-funded contracts and expansion of E-Learning poles as the main impulse for boosting the student base.
    Educação Education
     2016 (R$ 1.000)
Var. Real %   Actual Var. %
  Ativo total Total assets
28.624.913
2017 (R$ 1.000)
   30.284.052
5,63%
    Patrimônio líquido Net worth
18.713.054
21.038.758
12,06%
    Receita líquida   Net revenue
12.384.083
5,50%
  2.739.570
13.085.769
   LAJIR EBIT
2.848.343
3,85%
    Lucro / Prejuízo   Net profit (-loss)
2.409.543
2.601.430
7,73%
     Capital de giro Working capital
2.549.815
4.725.506
82,81%
    Giro do ativo   Asset turnover
0,43
0,43
-
     Grau de endividamento   Debt to equity ratio
0,53
0,44
-
    49
                  















































   47   48   49   50   51