Page 51 - Abrasca Anuário Estatístico 2018
P. 51

    Desempenho setorial Sectorial performance
      LAZER, TURISMO E HOTELARIA
Retomada continua adiada
A alta taxa de desemprego, o elevado índice de violência nas cidades brasileiras e a ausência de grandes eventos afetaram sensivelmente o setor em 2017. Dados do
Ministério do Turismo mostram que a receita cambial gerada por gastos de turistas estrangeiros no Brasil somou US$ 5,8 bilhões, resultado 3,6% inferior que os US$ 6 bilhões apurados em 2016.
O lucro consolidado em 2017 das seis empresas que são negociadas na B3 somou R$ 212,3 milhões, uma alta de 60,8%. O resultado, porém, não reflete a verdadeira realidade do setor. A maior parte deste ganho foi da CVC Brasil que registrou lucro de R$ 237,4 milhões, 19,7% superior ao de 2016. Quem também se saiu bem foi a Time For Fun, cujo lucro subiu 71,7% ao somar R$ 45,2 milhões. Tiveram resultados negativos a Hotéis Othon, Smart Fit e SP Turismo.
Ainda assim, os agentes de turismo e o setor hoteleiro estão um pouco mais otimistas com a retomada econômica, que pode melhorarosnegóciosnospróximosmeses.OministrodoTurismo, Marx Beltrão, também compartilha com a perspectiva de uma possível melhora.
Cita como positivo para o setor o lançamento do Plano Brasil + Turismo. “Nele, estão elencadas medidas para aumentar o fluxo doméstico e internacional de turistas, modernizar a legislação e criar mais oportunidades de negócios”, destaca Beltrão. O plano, porém, ainda precisa de aprovação do Congresso para que possa vigorar plenamente.
Os analistas acham que o desempenho do setor em 2018 não será diferente do ano que passou. As empresas que devem continuar se saindo bem são a CVC e Time For Fun, que conseguiram equilíbrio financeiro no período mais severo da crise econômica.
Lazer, turismo e hotelaria     Leisure industry
     Ativo total   Total assets
 LAJIR EBIT
* 01 empresa não publicou as DFs do período 2017.
* 01 company did not publish the Financial Statements for the year 2017.
2016 (R$ 1.000)
5.970.095
1.442.466
527.868
130.519
Leisure industry
Resume continues to be delayed
The high unemployment rate, the high rate of violence in Brazilian cities, and the absence of large events significantly affected the industry in 2017.DatafromtheMinistryofTourismshow that the foreign exchange revenue generated by expenses of foreign tourists in Brazil totaled US$ 5.8 billion, a result 3.6% lower than the US$ 6 billion established in 2016.
The consolidated profit in 2017 of the six companies traded at B3 totaled R$ 212.3 million, a growth of 60.8%. The result, however, does not reflect the true reality of the industry. Most of this gain was from CVC Brasil, which recorded a profit of R$ 237.4 million, 19.7% higher than in 2016. Time For Fun also did well, as its profit grew by 71.7% to add up to R$ 45.2 million. Hotéis Othon, Smart Fit and SP Tourism had negative results.
Still, tourism agents and the hospitality industry are a bit more optimistic about the economic recovery, which may improve business in the coming months. The Minister of Tourism, Marx Beltrão, also shares the prospect of a possible improvement.
He regards the launch of the Brazil + Tourism Plan as positive for the industry. “Measures to increase the domestic and international flow of tourists, modernize legislation and create more business opportunities are listed therein”, says Beltrão. The plan, however, still needs congressional approval so it can fully take effect.
The analysts believe that the performance of the industry in 2018 will not be different from last year. The companies that should continue to do well are CVC and Time For Fun, which achieved financial stability in the most severe period of the economic crisis.
 2017 (R$ 1.000)
8.358.713
590.815
212.337
Var. Real % Actual Var. %
 38,83%
     Patrimônio líquido Net worth
1.521.272
5,30%
    Receita líquida   Net revenue
2.920.553
2.924.452
0,13%
    11,57%
      Lucro / Prejuízo Net profit (-loss)
60,84%
    Capital de giro   Working capital
333.314
914.228
169,14%
     Giro do ativo   Asset turnover
0,49
0,35
-
     Grau de endividamento   Debt to equity ratio
3,14
4,49
-
    51
                  











































   49   50   51   52   53