Page 58 - Abrasca Anuário Estatístico 2018
P. 58

    Desempenho setorial Sectorial performance
      SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES
Setor registra alta de 40% no lucro
No ano passado, as empresas que operam planos de saúde conseguiram se sair razoavelmente bem graças ao reajuste de mais de 13,5% nos contratos corrigidos com base nos
custos médico-hospitalares, bem superiores ao IPCA (índice que mede a inflação oficial do país) de 2,95%. No entanto, a retração econômica e a queda do desemprego afetaram mais uma vez o número de beneficiados. O sistema fechou o ano com 47,3 milhões de vínculos, redução de 281,6 mil beneficiários em relação a 2016.
A Qualicorp, por exemplo, empresa líder na comercialização e administração de planos de saúde, retrata bem este cenário. A empresa fechou 2017 com lucro líquido de R$ 385,8 milhões, 8% inferior ao de 2016.
Já os planos exclusivamente odontológicos tiveram crescimento de 155.962 usuários, chegando aos 23,2 milhões de beneficiários segundo dados da ANS. Este resultado se explica em função dos preços, bem mais baratos que os dos planos médico- hospitalares. A Odontoprev, única empresa do segmento com ações cotadas na B3, registrou em 2017 um aumento de 128,8% no lucro líquido, que totalizou R$ 502,8 milhões.
O lucro consolidado das 11 empresas que formam o setor na B3 chegou a R$ 1,5 bilhão, 40,8% superior ao de 2016. A receita subiu 9,4% ao somar R$ 12,7 bilhões e o Ebit atingiu R$ 2,3 bilhões com alta de 36%.
Os analistas estão otimistas com as perspectivas do setor para 2018, em função da queda da inflação, da retomada da atividade econômica e da redução do desemprego. Destacam que o envelhecimento da população e a maior expectativa de vida são pontos importantes para manter o setor em expansão nos próximos anos.
Medical-hospital services
Sector profits up 40%
Last year, companies operating HMOs managed to do fairly well thanks to the readjustment of more than 13.5% in contracts, corrected based on medical- hospital costs, well exceeding the IPCA index (which measures the country’s official rate of inflation) of 2.95%. However, the economic downturn and the fall in unemployment once again affected the number of beneficiaries. The system ended the year with 47.3 million beneficiaries, a drop of 281,600 in relation to 2016.
Qualicorp, a leading company in marketing and administration of health plans, is a fine example of this scenario. The company ended 2017 with net profits of R$385.8 million, 8% lower than in 2016.
According to data from the NSA, users of dental plans increased by 155,962, reaching 23.2 million beneficiaries. This result can be explained by much cheaper prices than those of the medical and hospital plans. In 2017, Odontoprev, the only company with shares traded on B3, recorded an increase of 128.8% in net income, amounting to $502.8 million.
The consolidated revenue of the 11 companies that make up the sector on B3 amounted to R$1.5 billion, 40.8% higher than in 2016. Earnings rose 9.4% at R$12.7 billion and Ebit amounted to R$2.3 billion, a hike of 36 percent.
Analysts are optimistic about the sector’s prospects for 2018 due to the fall in inflation, the resumption of economic activity and lower unemployment. They emphasize that the ageing population and increased life expectancy are important points to keep the sector expanding in the coming years.
 Serviços médico-hospitalares     Medical-hospital services
   2016 (R$ 1.000)
Var. Real %   Actual Var. %
   18.049.886
2017 (R$ 1.000)
  Ativo total Total assets
20.031.089
10,65%
    Patrimônio líquido Net worth
9.466.191
10.856.502
14,25%
    Receita líquida   Net revenue
11.652.735
12.791.222
9,48%
     LAJIR EBIT
1.724.618
1.959.309
2.365.689
36,08%
    Lucro / Prejuízo   Net profit (-loss)
1.063.249
1.510.509
40,82%
     Capital de giro   Working capital
2.087.006
6,33%
     Giro do ativo Asset turnover
0,65
0,64
-
    Grau de endividamento   Debt to equity ratio
0,91
0,85
-
    58
                  













































   56   57   58   59   60